Eva RapDiva e Francis: as estrelas que mais brilharam no AHHA

Eva RapDiva e Francis: as estrelas que mais brilharam no AHHA

2
177
0
Domingo, 16 Julho 2017
Noticias

Durante a segunda edição do Angola Hip-Hop Awards os nomes que mais ecoaram no recinto que albergou a gala de premiações foram seguramente os de Eva RapDiva e Francis, o MC Cabinda. Ambos tiveram o maior número de nomeações e para a felicidade dos dois, receberam o maior número de troféus. Foram três para cada.

Quando contrariada, na altura do lançamento do seu álbum, sobre o lançamento do segundo single do CD homónimo, Eva arriscou e disponibilizou o tema “Um Assobio Meu”. Esta atitude ousada, ontem, 15 de Julho, lhe valeu dois prémios (estrofe do ano e single do ano). Somado ao de melhor rapper feminino de 2016, determinaram o presente momento da sua carreira como o da consagração. Artistas como Piracknídeo, Dji Tafinha, Extremo Signo e NGA foram preteridos a favor de Eva.

Agradecida pelas três distinções, uma delas dedicada ao seu produtor, Detergente, Eva não escondeu que o troféu que realmente queria levar para casa era o de “Estrofe do Ano”. Quando das mãos de Avelino Kiala ela recebeu a distinção, disse que este tema lhe trouxe alguns problemas, problemas estes derivado do facto da rapper sempre dizer o que pensa.

Mas foi quando recebeu o prémio de melhor rapper feminino que falou algumas das palavras marcantes da noite. Dirigindo-se aos presentes, Eva manifestou o desejo de não mais ganhar tal categoria no próximo ano. Não por perspectivar trabalhar menos, nem por achar que não foi meritória, mas por desejar que as colegas evoluam, trabalhem mais, empenhem-se mais e exponham os seus trabalhos muito mais. Afinal, ganhar não é necessariamente sinónimo de ser melhor.

Francis, o MC Cabinda, foi o rapper que ombreou com Eva no que a prémios diz respeito. O exercício de subir e descer do palco parecia tão rotineiro dado o conforto com que o fazia que, provavelmente, não inspirou grandes discursos. Quem acompanha a carreira de Francis não se deve ter surpreendido com as vezes em que o artista subiu ao palco para receber prémios. Podemos arriscar dizer que os troféus só não foram personalizados porque o público ainda tinha uma última palavra a dizer, todavia, era inquestionável que o MC Cabinda ganharia algumas das categorias em que foi nomeado.

Os factos estão a vista de todos. Faz um ano e alguns meses desde que o EP VIP foi disponibilizado ao mercado via download gratuito e ao contrário dos trabalhos de alguns colegas seu, o EP VIP não ficou evidenciado apenas durante alguns meses. O referido EP tornou Francis num dos rappers mais ativos nos últimos tempos, 12 meses depois do VIP e sem precisar lançar temas novos, algo que denota uma certa sustentabilidade.

share

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *