Antes da apresentação oficial: Sentinela descodifica cada tema do EP Raízes

Antes da apresentação oficial: Sentinela descodifica cada tema do EP Raízes

2
101
0
Terça-feira, 31 Julho 2018
Noticias
Gostou? Partilha com amigos

Com a carreira a decolar, e um nome sonante na nova escola do Rap nacional, Sentinela tem já publicados alguns trabalhos colaborativos e singles. Mas a sua obra de maior destaque, que, aliás, terá a sua apresentação oficial no dia 18 de Agosto é o EP Raízes, lançado em Abril deste ano. O trabalho levou cerca de 7 meses a ser concluído, mais tempo do que o esperado. Antes da apresentação ao vivo para os fãs, Sentinela faz aqui o raio-x do EP.

 

Introdução

O objectivo desse projecto é orientar o pessoal bem a nível do Hip-Hop. Eu tenho notado, segundo os comentários e algumas dicas do pessoal que a Nova Escola não faz o Hip-Hop na verdadeira essência, então o meu objectivo como Delegado foi mesmo deixar essas pessoas a par do que é o Hip-Ho. Nós temos a primeira parte que é a introdicion do projecto, que eu faço uma espécie de Spoken word, que é algo que pouco se faz na Nova Escola, eu fiz um Spoken Word a explicar aquilo que é a minha essência, o meu ver, a minha perspectiva sobre o Hip-Hop, que eu faço uma pequena explicação do que eu acho que é o Rap, o que o Rap representa para mim, a minha definição do R.A.P que é RITMO ATITUDE E PROTESTO.

 Limbo

Na primeira faixa eu faço uma incursão sobre aquilo que é o mundo que eu vivo e a perspectiva que eu tenho sobre o mundo que é o Limbo, em que eu me posiciono no linear das coisas todas, em que estou no linear do Cristão e o Mundano, eu estou no linear da guerra entre as diferenças raciais e que vejo tudo, que no fundo sou Sentinela, que estou sempre alerta, e que estou disposto sempre a informar o que se passa e que as vezes as pessoas têm como normal e que não é normal. Então, reportei esses factos todos na faixa “LIMBO” e me coloquei numa posição linear dentro disso tudo.

Leia também:  Lançamento: Discos de Abdiel em dose tripla

So Good

A segunda faixa é o “SO GOOD”. Para as pessoas que ouviram e ainda não perceberam, o “SO GOOD” é basicamente que o Sentinela está sentado na cadeira dele de Delegado e eu estou good, que independentemente que estamos na era dos beefs, que vai haver beefs na Nova Escola, vai haver beefs na Velha Escola, vai haver beefs no Rap Feminino, mas o Sentinela, O Delegado vai estar na cadeira dele e eu estou good, tranquilo a fazer os meus business, a fazer os meus shows, a fazer as minhas cenas.

Já Não Dá

A terceira faixa é a “Já Não Dá”, que é no fundo aquele processo dilemático entre o estomago e a moral. Eu faço um pequeno Storyteller que vai reportar a história de um jovem que era honesto, calmo, tinha uma vida totalmente tranquila e normal, um cidadão pacato, mas por causa do estomago, das pressões sociais ele foi obrigado a seguir caminhos nada abonatórios. A música faz uma reportagem desse contexto entre o estomago e a moral, qual dos dois vem a vencer no final.

Referências

A quinta faixa é a “Referências” que eu faço com o Bob Da Rage Sense, que tem tido esse feed back todo.

Sou Povo

A sexta faixa é o “Sou Povo”, que é a música em que eu me coloco como povo em todos os sentidos, em todas as áreas. Eu faço um retracto falado daquilo que é o cotidiano do povo Angolano, não é de nenhum outro povo, é do povo Angolano, nós que passamos mal com a subida do táxi, nós que passamos mal com os preços dos mercados, nós que passamos mal com os lixos, nós que passamos mal com as febres e doenças, os hospitais que não há atendimento, a falta de saneamento básico e tudo aquilo. Eu faço uma reportagem disso tudo nessa música, mas numa espécie de marcha de protesto.

Leia também:  Mr. K em exclusivo: “Kalibrados é minha Vida”

Quê que tu queres

A sétima música que eu acredito que foi a segunda promocional conta com a participação do Klever e Danexl. É um tema em que nós vamos fazer uma abordagem daquilo que o povo quer a nível de Rap, se é bundas no ar, se é bebidas, se é Sweg, ou se realmente é a essência e o conteúdo das coisa. Se é a consciência ou se é visual, se é o conteúdo ou se é o exterior?!, falamos disso naquela track.

Minha definição

A oitava música é para fechar as músicas oficiais que é a “Minha Definição”, onde eu faço a definição completa do Sentinela. A “Minha Definição” passa por um Egotrippin até às minhas raízes, as raízes físicas, as raízes intelectuais e as raízes a nível do Rap, numa sonoridade mais Boom Bap anos 90, que faz lembrar um pouco o J Dealer. A produção vai mesmo mais com a vibe do J Dealer e tem scretch, também é uma cena que está com uma nostalgia mesmo anos 90.

Primeira Liga

E a última faixa que é uma bonus track, é que é mesmo “avisa”, um gajo está mesmo a avisar aí que eu sou o delegado e as pessoas têm que… Acho que quem comprou o projecto e está a curtir a cena sabe do que eu estou a falar. Então, é um egotrippin lixado que eu dou um papo recto para todo esse pessoal aí, tanto Nova como Velha Escola, todo pessoal do Hip-Hop que tem confundido as coisas. Yeah, e assim fechamos o projecto e graças a Deus tem tido uma boa recepção.


Gostou? Partilha com amigos

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.