Maio pode ser o mês de celebração do Hip-Hop nacional

Maio pode ser o mês de celebração do Hip-Hop nacional

1
62
0
Quarta-feira, 19 Setembro 2018
Noticias
Gostou? Partilha com amigos

 

O Hip-Hop em Angola começou a emergir ainda na década de 90, mas de lá para cá nunca foi aprovada nenhuma data de celebração nacional.

A Rádio Sem Anestesia conversou com Milton Canzala, na qualidade de Reitor da Universidade Hip-Hop de Angola, que revelou os planos da Instituição, relativamente a implementação de uma data de comemoração do movimento cultural em Angola.

“A Universidade preocupa-se em termos também as nossas datas de celebração, mas para tal, a universidade terá que convidar todas as forças vivas da cultura Hip-Hop nacional no sentido de juntos analisarmos que data pode se adequar com a nossa realidade”, disse.

A conversa surge no âmbito da realização do evento de comemoração do 45º aniversário do Hip-Hop, em Agosto passado, a princípio ainda não há concretização de nenhuma data, todavia, segundo o actual Reitor da Universidade, o mês de Maio é uma das propostas até agora avançada, tendo em conta a repercussão que a cultura Hip-Hop tem em África.

“Ainda não sabemos os dias exactos, acho que o mês de Maio não fica de fora, mas também tem outros meses que os pioneiros da cultura Hip-Hop poderão dizer. De realçar que esta data não virá de modo isolado, é o primeiro passo que a Universidade há muito tenciona, como é um mês de festividade anual e pretendemos fazer nos próximos anos a mesma coisa”, comentou.

Depois de a ideia ser metamorfoseada em data festiva ainda este ano, a Universidade em companhia de outros rappers, pretende encontrar datas comemorativas para cada categoria, destacando as de Djs e Bi-Boys. “A princípio nós queremos ter uma data festiva da cultura Hip-Hop nacional, após isso poderemos ver a data de cada elemento, por exemplo, ter concursos ou uma data de celebração para os Djs e Bi-Boys é uma coisa boa e para outros elementos. Mas isso requer uma ginástica e a auscultação de toda massa viva da cultura. Ainda não demos o passo inicial, apenas está em carteira para depois de amadurecido podermos então chamar estas forças vivas do movimento para levarmos avante a ideia”, revelou.

Leia também:  Digital Music junta artista do Sumbe num disco

Gostou? Partilha com amigos

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.